Actividades/Transparência Hackday Porto

Da Hacklaviva

Índice

Global Voices Online

Sara Moreira

História e actualidade

  • Iniciativa nascida na Universidade de Harvard
  • Sediada agora na Holanda
  • Objectivo: Dar voz a causas que não surgem no jornalismo mainstream
  • Slogan: Don't hate the media, make the media.
  • Não é uma plataforma de opinião mas sim de jornalismo alternativo imparcial
  • Licença: Creative Commons Atribuição
  • Nos dias mais "quentes" (Haiti, terramoto Chile), 20 000 visitas diárias
  • Site principal em inglês, mas há também vários projectos de tradução (17 línguas)

Sectores específicos do Global Voices

  • Rising Voices: Disponibiliza bolsas para projectos de jornalismo do cidadão em locais onde esta iniciativa está pouco divulgada
  • Threatened Voices: Protecção de bloggers e jornalistas ameaçados por questões de liberdade de expressão
  • Technology for Transparency: Ligação, mapeamento e divulgação de projectos tecnológicos que promovam a transparência e envolvimento cívico pelo mundo. Há vontade em reunir pessoas em Portugal para reunir as experiências à volta do mundo, fazer traduções e realizar projectos locais.

Exemplos de projectos

Dificuldades encontradas

  • Cultura de passividade
  • Necessidade de tradução do paleio político
  • Falta acesso a dados governamentais
  • Participação cívica limitada fora dos ciclos eleitorais
  • Literacia digital
  • Tecnologia
  • Financiamento

Quais os alvos possíveis?

  • Parlamento
  • Orçamento
  • Eleições
  • Governação local
  • Denúncias, queixas
  • Indústrias de extracção
  • Sector Privado
  • Crime
  • ....

http://transparency.globalvoicesonline.org

Democracia para Geeks: O que podemos fazer além de votar?

Vítor Silva twitter.com/vitorsilva

  • Visualização de dados e as experiências feitas
  • Gráficos de evolução das taxas de juro (Euribor vs. spreads)
    • Feita com recurso ao site do Banco Central Europeu e do INE, que têm os dados em folhas de cálculo
  • Gráficos da evolução dos preços da gasolina
    • Relação entre as pesquisas no Google por "preço da gasolina" (Google Trends) e a evolução do preço da gasolina 95
  • Mapa do país com a evolução da população portuguesa nos últimos 10 anos
  • A parte mais difícil do processo é encontrar e processar a informação

Conclusões

  • Onde está a informação?
  • Em que formato está?
  • Que ferramentas temos para as visualizar?
  • Stamen Design -- estúdio dedicado à visualização de dados
    • Visualização dos fluxos de tráfego automóvel
    • Monitorização do crime em Oakland (disposição num mapa)

Onde há dados em Portugal?

  • Instituto Nacional de Estatística
  • Banco de Portugal
  • Pordata
  • Câmara Municipal do Porto
  • Transmissão online das Assembleias Municipais (iGov local)
  • gastopublico.es

O que é preciso:

  • Dados legíveis e processáveis automaticamente (machine-readable/machine-processable)
  • Informação não proprietária
  • Livre de licenças
  • Actualização e acessibilidade

Quem fala do assunto em Portugal?

  • Celso Martinho
  • Leo Xavier
  • Vítor Domingos
  • Paulo Querido
  • OsMeusApontamentos (blog Vítor Silva)
  • Os organismos públicos não precisam de criar sites, o que importa é que

a informação esteja disponível para que outros criem e explorem esses dados.

  • Data.gov e data.gov.uk
  • Até as grandes consultoras estão atentas a isto
  • Guardian Open Platform
  • Sunlight Foundation

O que fazer?

  • Convencer os nossos representantes (lobbying!)
  • Liderar com exemplos
Hackmeeting